quinta-feira, 20 de junho de 2013

Grito do Movimento Brasileiro

Mãe Pátria
Eis aqui os filhos da tua terra. 
Pois nos ergue da justiça a clava forte 
A pelejar contra o homem desditoso

Libertaremos os pequenos das correntes 
Que os prendem nessas trevas de ignorância 
Despidos da apatia e munidos de esperança 
Construiremos juntos o futuro que te espelha

Absolva nossos deleites em fúria
Pois em teu seio aprendemos sobre o amor
Mas estes corpos que suam lágrimas, ó Mãe
Não suportam mais o furto de seu sangue

Há muito já se foi o grito à liberdade
Que nos livrara da cobiça dos colonos
Mas da Tua herança só nos deixam as migalhas
De tão ousada a loucura destes homens.

Traga-nos a vida que proclamam os teus bosques
Para termos a força de um gigante destemido
Derrotando estes males que te ofertam
Porquanto hoje começamos novo ciclo

Gritaremos em breve, o som da verdadeira liberdade
Dos ideais humanos e não minoritários
Hasteando uma única bandeira
Desses filhos que te amam.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Carta aos militares

Segunda-feira, 17 de junho de 2013 

Carta ao militares

Caros defensores da ordem e patrimônio público, 

Como pessoa civil gostaria de expor e esclarecer alguns sentimentos meus e de muitos brasileiros. Primeiramente, peço que os senhores relembrem das greves dos últimos anos, tanto da polícia militar, quanto dos bombeiros, onde a mídia somente mostrava as irregularidades cometidas pela minoria e como vocês eram taxados quando reivindicavam melhores salários devido a tanta exposição ao risco.

Agora, peço que lembrem a quem vocês pediam melhores salários. Depois, peço que lembrem quem ficou no lado de todos vocês, inclusive em passeatas, na defesa nas mídias sociais por anistia ou nas conversas de bar que diziam que mesmo que a cidade estivesse desprotegida, vocês estavam buscando seus direitos.

Pois é, fomos nós. Nós cidadãos, trabalhadores e pais de família como vocês, que temos necessidades como vocês e reivindicamos como vocês e que nunca atiramos uma bala de borracha, nem chamamos ninguém de vagabundo.

Não sei se é notório, mas é bom deixar claro que nós civis e vocês militares estamos sempre sendo colocados contra o outro pela mesma "pessoa" e esta nunca está errada, somente nós.

Ontem, vocês eram os vândalos, hoje nós, amanhã só as mulheres, depois os homo afetivos, os idosos ou qualquer outra classe que queira reivindicar algum direito ao governo.

Estamos chorando pela falsa democracia e pelo efeito das bombas de gás lacrimogêneo, no qual nem temos o direito de usar óculos para se proteger, temos que escolher sofrer, virou crime se defender.

Muitos pensam que estão do lado dessa ditadura e que nada lhe atinge, pois são agentes da lei, mas sofrem todo final do mês e também, nunca pararam para pensar que são apenas bonecos da linha de frente de um exército engravatado. Imagine só se cada cidadão indefeso desse fosse um bandido e possuísse um fuzil importado igualzinho aos que vemos no crime organizado e que vocês nunca puseram a mão? Sabe quem choraria vossas mortes além de suas famílias? Nós! Pois nos sentiríamos cada vez mais desprotegidos e injustiçados, pois sabemos que a polícia é parte da sociedade. Todos nós temos amigos e parentes militares, inclusive vocês que já choraram a morte de muitos companheiros.

O mesmo governo e os mesmos superiores que lhes julgavam nas suas necessidades, estão nos julgando na nossa e fazendo os lados se digladiar enquanto bebem uísque 12 anos.

Se o patrimônio é público, que por sua vez é construído por nós e somos nós que estamos reivindicando melhorias, a quem vocês estão protegendo?

A sociedade aguarda ansiosamente uma reação de vocês, pois lembraremos exatamente dela quando vocês precisarem de nós.

Afinal, alguém daí tem esperança de que vai melhorar para vocês?

Não deixem que essa minoria nos use como bens de consumo, precisamos reagir.

Respeitosamente,
A Sociedade.