sábado, 31 de dezembro de 2011

Um ano novo?

Eu fico aqui viajando nas palavras e no final não sei realmente o que dizer, na verdade eu acho que não tenho nada a dizer sobre o ano novo, sobre qualquer ano novo. Alguns dizem que é um momento de renovação, de esperança e coisa e tal. Eu acho que na verdade é uma grande ansiedade confundida com esses sentimentos bons.

É a espera de algo bom sem ter que fazer nada, é olhar um ano novinho em folha e dizer: "O que você tem para mim, seu lindo?". Afinal, se você espera algo, já significa que não vem de você, pois se fosse por sua causa apenas, não esperaria o ano mudar para que te trouxesse esperança, pois vem de você, lembra?

É confuso... É prazeroso por que é confuso, essa coisa mexe com a gente, não é? mexe? mexe sim, vai!

A gente promete, promete, faz uma lista bonitona no excel, das coisas que desejamos e pretendemos para o próximo ano e aquela fatura do cartão em cima da mesa te gritando: "Vem nimim, vem nimim... que eu tô egordando e você ainda não emagreceu nada".



O que você lembra das últimas viradas de ano? Vai pensando... Não precisa responder... Foi aquela festa maneira que você foi e aquele showzaço que assistiu? Mas e a lista de promessas? Lembra quantos itens cumpriu? Lembra que fez promessa de algo? Hummm amenésia alcoolica né? Beleza. A conta do cartão você pagou pelo menos?

Esse ano você vai se organizar, tenho certeza. Nunca mais vai dizer: "Minhas roupas estão sumindo, eu sempre compro roupas novas e estou sempre com pouca roupa!", Pois é, seu armário tá bagunçado há 3 anos, tem roupas que a traça comeu por inteira e só deixou a etiqueta por que é alérgica a Polyester, o resto ainda está lá.

Não dá para começar um ano novo, se a gente não largar o anterior. Não só o anterior, tem gente que não largou 2007 ainda. Guarda coisas no armário que te ferem, quer subir para o próximo degrau, mas não consegue abandonar o anterior.

Jogue tudo fora, inclusive aquele saco de papel que você ainda não fez a triagem por que tem coisa importante. Mas se tem coisa importante lá, por que você nunca mais abriu ele? Não precisou de nada de lá e continua vivendo, não é? Joga fora.

As cartinhas de amor que recebeu há muito tempo e você ainda guarda não tem valor sentimental, não é a sua história, é MENTIRA sua, isso aí é falta de um amor de outro alguém AGORA, niguém está te amando o suficiente para tornar seu passado substituível. Jogue fora! Viva vazio, mas não se encha de coisas que não fazem mais sentido.


Amanhã sempre vai ser hoje e o que você fez? É díficil, eu sei, para mim também é. Mas pelo menos, deixe de se enganar, a mim você não engana, e por que vai fazer isso consigo mesmo?

Comece por coisas simples, elas te darão rumo e um pouco de força para você despertar para um novo começo. Depois que apagou e jogou fora tudo que não te presta mais, jogue fora também, aquela gaveta de meias esgarçadas, aquela gaveta de cuecas/calcinhas velhas e compre tudo novinho. Encha elas com cheiro de novo e cores vivas e elásticos decentes. Assim, todo dia que for olhar o seu quarto, vai perceber que, mesmo que simples, alí é vai ser um lugar diferente no seu quarto. Você mudou, tomou iniciativa.

E a partir daí, um vírus do bem tomará conta de você e vai querer que todo seu quarto mude também, em seguida a sua vida. Vamos, se mova, mude um tiquinho agora, pegue sacos plásticos, antes de chegar o novo, mande o velho embora, vai te custar um pouco, mas você usa o cartão... Ahhh, falando em cartão... e aquela fatura, já pagou?

FELIZ ANO NOVO!